https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fvets.2020.00388/full?fbclid=IwAR39Kfroh028S4BPuGrfUwogi3RB-twaA2PQmViif2VuXpoN-mvsnZesFWs


Auxiliar na tomada de decisões sobre a idade da castração para 35 raças de cães: doenças articulares associadas, câncer e incontinência urinária


Benjamin L. Hart 1 *, Lynette A. Hart 2, Abigail P. Thigpen 2 e Neil H. Willits 3

1 Departamento de Anatomia, Fisiologia e Biologia Celular, Escola de Medicina Veterinária, Universidade da Califórnia, Davis, Davis, CA, Estados Unidos

2 Departamento de Saúde e Reprodução da População, Escola de Medicina Veterinária, Universidade da Califórnia, Davis, Davis, CA, Estados Unidos

3 Departamento de Estatística, Universidade da Califórnia, Davis, Davis, CA, Estados Unidos



A castração (incluindo esterilização) de cães machos e fingidos no primeiro ano após o nascimento tornada-se rotina nos Estados Unidos e em grande parte da Europa, mas pesquisas recentes revelam que, para algumas raças de cães, uma castração pode estar associada a riscos aumentados de doenças articulares debilitantes e alguns câncer, complicando as decisões dos animais de estimação quanto à castração. Os distúrbios das articulações incluem displasia do quadril, ruptura ou ruptura do ligamento cruzado cranial e displasia do cotovelo. Os cânceres incluem linfoma, tumor de mastócitos, hemangiossarcoma e osteossarcoma. Em estudos anteriores sobre o Golden Retriever, Labrador Retriever e Cão Pastor Alemão, uma castração antes de um ano de idade foi associada a riscos aumentados de um ou mais distúrbios nas articulações, 2 a 4 vezes mais do que em cães intactos. O aumento foi observado principalmente em cães castrados por volta dos 6 meses de idade. Em Golden Retrievers femininos, houve um aumento em um ou mais dos cânceres seguidos por cerca de 2–4 vezes o de mulheres intactas com castração em qualquer idade. O objetivo do presente estudo foi expandir e usar a mesma coleta de dados e análises para cobrir mais 29 raças, mais três variedades de Poodles. Havia grandes diferenças entre as raças na vulnerabilidade à castração, tanto em relação a distúrbios nas articulações quanto ao câncer. Casos de casos, o cuidador pode escolher a idade da castração sem aumentar os riscos dessas doenças articulares ou cânceres. As raças de cães pequenos pareciam não ter riscos aumentados de doenças articulares associadas à castração, e em apenas duas raças pequenas (Boston Terrier e Shih Tzu) houve um aumento significativo de câncer. Para ajudar os donos de animais e veterinários a decidir sobre a idade de castrar um cão específico,


Introdução

Nos Estados Unidos e em grande parte da Europa, uma prática de castrar cachorros machos e sobreviventes (aqui denominados castração) tornada-se rotina (1) e sendo cada vez mais realizada aos 6 meses de idade ou antes está disso. Ao mesmo tempo, várias investigações revelaram que distúrbios nas articulações e alguns tipos de câncer podem aumentar em associação com a castração de homens e / ou mulheres. Por exemplo, em estudos que não se concentraram em raças específicas ou idades de castração, descobr-se que a displasia do quadril e rupturas ou rupturas do ligamento cruzado cranial eram mais frequentes prováveis ​​em castrados do que em machos e reserva intactos (2 ) Outro estudo descobriu que a castração foi associada a um aumento de 3 vezes no ângulo excessivo do platô tibial (3), que é um fator de risco para o desenvolvimento de rupturas ou ruptura do ligamento cruzado cranial. A castração é relatada como um fator de risco para hérnia de disco intervertebral canino em Dachshunds (4). Certos tipos de câncer também são mais prováveis ​​em cães castrados do que em cães intactos. A ocorrência de linfoma foi maior em mulheres esterilizadas do que em mulheres intactas (5), assim como a ocorrência de mastócitos (6) e hemangiossarcoma (7). Um estudo com mais de 40.000 cães utilizando o Banco de Dados Médico Veterinário descobrindo que machos e hipotecados castrados tinham maior probabilidade de morrer de câncer do que cães intactos (8). Uma descoberta recente foi que a ausência de estrogênio na esterilização de mulheres estava associada ao envelhecimento cerebral acelerado (9). Outro relatório recente do Golden Retriever Lifetime Project é que a castração com menos de 6 meses aumenta o risco de lesão do ligamento cruzado cranial (10). A maioria dos estudos citados acima não oferece informações úteis ou diretrizes em relação às várias doenças que podem ocorrer em associação com uma castração em uma raça específica.


Em uma tentativa de abordar a ausência de informações específicas da raça sobre distúrbios articulares e cânceres associados à castração, empreendemos um projeto com foco em várias raças específicas usando coleta de dados e análises com nosso extenso banco de dados de hospitais veterinários, onde os mesmos critérios de diagnóstico ser laudo todas as raças. Começamos com raças populares bem representadas na base de dados, boletim com o Golden Retriever (11, 12), Labrador Retriever (12) e Cão Pastor Alemão (13) Os distúrbios da art

Foi publicado novo estudo sobre castração de machos e fêmeas em 30 raças caninas.

Traduzi as conclusões para Chihuahuas, Pomerânias e Shih Tzus (abaixo). As conclusões variam de raça a raça e sexo: por exemplo, os autores não recomendam a castração de Golden Retrievers fêmeas e de Dobermanns machos (em qquer idade), Pastores Alemães e Boxers só devem ser castrados após os 23 meses (machos e fêmeas), etc...


CHIHUAHUAS: A população do estudo foi de 261 machos intactos, 189 machos castrados, 298 fêmeas intactas e 289 fêmeas esterilizadas para uma amostra total de 1.037 casos. Machos e fêmeas, tanto os que foram deixados intactos, quanto os castrados em qualquer idade, não tiveram ocorrência digna de nota de distúrbios articulares. Os cânceres observados em machos e fêmeas intactos e castrados foram <5%, sem aumento evidente com castração em qualquer idade.

A ocorrência de câncer mamário em fêmeas deixadas intactas foi de 1 por cento, e em fêmeas castradas entre 2-8 meses, 4 por cento. Em fêmeas intactas, piometra foi diagnosticada em 2 por cento. Não houve diagnóstico de incontinência urinária em nenhuma das fêmeas esterilizadas.

CONCLUSÃO DO ESTUDO PARA CHIHUAHUAS: Não houve ocorrência perceptível de aumento de distúrbios nas articulações ou câncer com a castração de Chihuahuas. Aqueles que desejam castrar devem decidir sobre a idade apropriada.


POMERÂNIAS: A população do estudo foi de 84 machos intactos, 69 machos castrados, 65 fêmeas intactas e 104 fêmeas esterilizadas para uma amostra total de 322 casos. Tal como acontece com outros cães de tamanho corporal pequeno, tanto os machos quanto as fêmeas não apresentaram ocorrências de distúrbios nas articulações, nem nos animais deixados intactos ou castrados. Com relação aos cânceres, tanto para machos quanto para fêmeas intactos, a ocorrência de câncer foi zero, e não houve indicação de aumento do risco de câncer relacionado à castração em nenhum dos sexos. Houve apenas um caso de câncer de mama em fêmea intacta e 7% com piometra. Nenhuma fêmea foi diagnosticada com Incontinência Urinária.

CONCLUSÃO PARA POMERÂNIAS: Não houve ocorrência perceptível de aumento de distúrbios nas articulações ou câncer com a castração de Pomerânias. Aqueles que desejam castrar devem decidir sobre a idade apropriada.


SHIH TZUS: A população do estudo foi de 104 machos intactos, 112 machos castrados, 77 fêmeas intactas e 139 fêmeas esterilizadas para uma amostra total de 432 casos. Nesta raça de cães pequenos não houve ocorrências de distúrbios nas articulações em machos e fêmeas intactos ou castrados, revelando virtualmente nenhuma vulnerabilidade a esse respeito. Não houve ocorrência de cânceres seguidos em machos e fêmeas intactos. Em machos castrados, não houve ocorrência de câncer. No entanto, em fêmeas, a ocorrência de cânceres para aqueles esterilizados entre 6-11 meses foi de 7 por cento e, para as castradas com até 1 ano esta medida atingiu significativos 18% (p <0,01). Tumores mamários ocorreram em 3% das fêmeas intactas. Piometra ocorreu em 5% das fêmeas intactas. A Incontinência Urinária não foi relatada em nenhuma fêmea.

CONCLUSÃO PARA SHIH TZUS: Na falta de ocorrência perceptível de aumento de distúrbios nas articulações ou câncer em machos castrados, aqueles que desejam castrar devem decidir sobre a idade apropriada. O quadro é muito diferente para a esterilização de fêmeas, onde há risco aumentado de câncer com a esterilização entre 6-11 meses, atingindo 18% com a esterilização com 1 ano de vida. A diretriz sugerida para fêmeas é adiar a esterilização até que a fêmea tenha 2 anos de idade . Outra possibilidade é castrar um ou dois meses antes dos 6 meses para evitar o aumento do risco de câncer.

, 20/09/2020

Entre em contato

Ninhadas

Argos   Misty

Argos x Misty

Nascimento: 12/11/2020

  Conheça

Argos x Misty

Nascimento: 12/11/2020
Machos: 0
Fêmeas: 3
Disponíveis: 1